LIMPA FOSSA

  » Home          |            » Limpa Fossa          |          » Por que é necessário limpar uma fossa?         |         » Fossa Séptica

 

 

Limpa Fossa

Limpeza de Fossa

Fossa Séptica

Limpa Fossa - SP


Fossa Séptica

Fossa séptica é um sistema de tratamento de esgotos domésticos e funciona a partir de transformações físico-químicas dos resíduos, feitas por microorganismos. Os resíduos gerados pela casa são armazenados em um reservatório impermeável; a parte sólida se acumula no fundo e separa-se da parte líquida.

Bactérias que não sobrevivem na presença do oxigênio, chamadas anaeróbias, fazem a decomposição inicial da parte líquida e depois da matéria sólida. Devido ao nível de oxigênio, que é muito baixo, este processo é chamado biotransformação.

As fossas podem ser utilizadas em qualquer tipo de construção, desde casas com poucas pessoas até edifícios.

Os resíduos, quando decompostos, trazem menores prejuízos ao ambiente quando descartados no mesmo, comparados aos que não foram tratados. São, principalmente, indicadas para moradias rurais e, em locais que não recebem tratamento de esgoto da rede pública, a utilização da fossa é obrigatória. Podem também ser utilizadas em zonas urbanas, mas com o acompanhamento de profissionais especializados.

Elas isolam resíduos domésticos do ambiente e principalmente das fontes de água, como nascentes, lagos, rios e poços. Dessa forma, são ideais para a prevenção de cerca de 50 tipos de doenças como verminoses, cólera, febre tifóide, hepatite infecciosa e qualquer outra patologia provocada por contaminação por dejetos humanos.

As fossas não são indicadas para ficar muito próximas às moradias, para evitar mau cheiro, e nem muito longe por conta da distância de canalização, sendo de quatro a seis metros o mais recomendado. São construídas em locais com o nível mais baixo do terreno para que esgoto desça por gravidade e mais reta possível para evitar um possível entupimento. Devem ficar longe de poços e cisternas para evitar a contaminação caso ocorra vazamento, com mínimo de trinta metros de distância. Da mesma forma, devem ser distantes em 15 metros de lençóis freáticos e três metros de árvores, para evitar que as raízes invadam o reservatório. Em fossas pré-fabricadas geralmente não ocorrem vazamentos.

Elas podem ser de diversos tipos: pré-fabricadas ou feitas no local, e com vários formatos e tamanhos. No entanto, as mais utilizadas são as retangulares e cilíndricas, sendo as cilíndricas as mais estáveis.

Quando são fabricadas no local, devem ser dimensionadas e construídas a partir de um projeto de engenharia, para que não ocorra nenhum problema de vazamento ou de transbordamento e evitando, assim, um possível problema de contaminação. O material mais utilizado para este tipo de fossa é o concreto e tijolos maciços ou placas de concreto moldadas em fôrmas. O tamanho é facilmente calculado: depende do número de pessoas e do consumo diário de água por cada pessoa.

A altura mínima é de um metro e vinte, necessária para garantir a ação neutralizante das bactérias. O volume do reservatório deve ser sempre superior a mil litros e calculado para duzentos litros a mais por pessoa.

Recomenda-se construir uma caixa de inspeção na ligação da rede de esgoto, entre a casa e a fossa, semelhante à uma caixa de gordura, para que possam ser feitas manutenções, sanando eventuais entupimentos que possam ocorrer.

O tanque possui uma entrada que é a ligação da rede de esgoto, e uma saída chamada sumidouro, que é por onde os resíduos tratados infiltram no solo. No entanto, o tanque não possui fundo, para que os resíduos infiltrem por gravidade.

Quando existem lençóis freáticos próximos à superfície, podem ser construídas valas de infiltração, que são canalizações horizontais longas que levam os resíduos da fossa para locais onde sua liberação seja segura, de forma que a penetração do efluente seja mais superficial. As valas possuem drenos em seu interior, geralmente constituídos por brita ou bambu. As paredes devem ser impermeáveis para que o efluente passe com facilidade para o solo. É recomendado que seja construído oito metros de vala por pessoa e que o sumidouro tenha um volume um pouco maior que do reservatório.

Os produtos gerados na fossa séptica podem ser reaproveitados, um tipo de fossa séptica chamada biodigestora pode ser utilizada para a produção de adubos naturais. Os efluentes produzidos no sumidouro ou nas valas são destinados para a agricultura, enriquecendo o solo do local. Estudos científicos demonstram que este adubo gerado pela decomposição da matéria orgânica é mais produtivo que fertilizantes químicos industriais. Outro produto gerado pelas bactérias são gases como o metano, que podem ser canalizados e utilizados como gás de cozinha ou para indústrias.

Caso a fossa não seja construída com o fim de reaproveitamento do material, devem ser feitas limpezas periódicas, pois ocorre acúmulo de lodo no fundo e este pode tornar-se um problema quando seu volume aumenta demais. Pode ser que o material do interior da fossa transborde, ou o esgoto pode voltar pela canalização até o interior da casa; uma situação um tanto quanto desagradável.

Na maioria das vezes, o problema surge quando há um grande volume de água que infiltra em algum dos compartimentos, proveniente de intensas chuvas, falta de manutenção e de limpeza, vazamento de válvulas ou queda da parede do reservatório ou do sumidouro. Recomenda-se que a limpeza seja executada a cada dois anos em todos os compartimentos: caixa de gordura, fossa e sumidouro.

A limpeza é feita por empresas especializadas e, na maioria das vezes, oferecem também outros serviços, como desentupimento de tubulações, limpeza de caixas d’água, poços e cisternas.

As empresas geralmente oferecem dois tipos de serviço de limpeza do lodo das fossas. Um deles é o auto-vácuo, onde um caminhão com uma bomba de vácuo suga todo o conteúdo da fossa e da caixa de gordura, esgotando-as.

O outro é o hidrojateamento de alta pressão. Ele consiste em um jato de água com alta pressão, bombeada pelo caminhão, equipado com uma bomba de alta pressão e um tanque com água potável. A água passa por um bico na ponta da mangueira, que aumenta a pressão e retira a camada de lodo sólido no fundo da fossa. Em seguida, os dejetos são retirados da fossa por sucção.

Manter as fossas limpas com manutenção periódica garante seu funcionamento eficiente.

   
Todos os direitos reservados a: Limpa Fossa